Cartas para Daniel – Último

IV. Último

Caro Daniel,

Boa tarde, bom dia e boa noite.
Esta é a última carta que escreve para si mesmo e não há uma trilha sonora de fundo para o riscar da caneta no papel. Paremos de ser poéticos.
Hoje você parou para pensar um pouco e é possível que já tenha o bastante escrito em seus romances e seja tempo de um hiato sem data de volta. As palavras quando ficam soltas demais são sinais de que querem um pouco se desgarrar. Deixe-as descansar dentro de você ou ao longe.
Espero que plante uma árvore, escale uma montanha e dê muitos beijos sem café ou após escovar os dentes. Daniel, você é hermético. Liberte-se.
Nada pairará ao seu bel prazer e não terá sua razão reconhecida em tudo.
Ande pelo mundo e se aproprie dele. Você é parte dele. Não chore. E não tenha medo. As ondas do mar são bonitas demais para serem vistas de tão perto. Às vezes, a beleza dói.
Afaste-se, tome impulso e suspenda seus pés do chão. Torne a pisar a terra de novo e esprema seus dedos no solo. Terra, voltar a terra, voltar ao chão, no melhor sentido.
As energias vão e voltam para o centro. Suspenda-se, volte ao chão, respire. Não chore.
Boa tarde, bom dia e boa noite.

Tome um suco de maçã.

Um beijo,
Daniel.

Anúncios

Cartas para Daniel – III. Pressa

III. Pressa

Caro Daniel,

Às vezes Deus chega tão depressa que você não acredita com o que se depara bem em sua frente. Sabe, você deveria parar de ter expectativas. As pessoas seguem sendo o que são, assim como você. Não importa nada além delas mesmas. Não importa.

O bom em Deus chegar depressa é que você para para pensar e lava tudo de uma vez, dos olhos às pontas dos pés.

Foi interessante o modo como você quebrou o espelho hoje. De vez em quando é bom quebrar algumas coisas para ver se remontam ou se apenas acabam. Quebrar o espelho e não ter nenhum corte nas mãos foi praticamente heróico. E pare de rir, eu vi quando colocou as luvas. É sinal de que você está se lembrando de usar sua inteligência a seu favor.

Um brinde aos seus cafés todos dos dias, das noites e das madrugadas! Eles têm reavivado sua memória e te feito muito bem. E um brinde ao gel dental que não lhe deixa de dentes amarelados. Sim, eu ri, sarcasticamente, olhando no outro espelho ainda inteiro.

Pressa só tenha para o próximo sorriso. Você deveria abrir sua caixa de emails, lembra? E… Não temos somente promoções dos spams. Boa! Ler as mensagens pessoais e viver um pouco mais para voltar a escrever alucinadamente.

Sim, tomar um café de novo e escalar uma montanha, ou plantar uma árvore, ou dar muitos beijos.

Até a próxima, Daniel.

Time to live.