Toco virtual

Toco virtual

As relações humanas há tempos passam por reconfigurações num mundo onde há tempos também, sendo bem redundante, imprime-se a marca da modernidade. Tornou-se moderno dizer “eu te amo” sem sentir, “adoro” como quem diz “ok, estou cada vez mais na sua, mas talvez seja só um frisson adolescente”. E a vida segue com as novas modalidades de dizer e de sentir.

Deixamos as palavras mais bonitas para preencher os depoimentos das redes sociais da esfera virtual e não conseguimos exprimi-las num contato frente a frente. Contamos os segundos das conversas ao celular e nos deparamos com alguns silêncios do outro lado da linha. Não, não se trata de uso do bônus da operadora: é um não saber dizer, uma carência de vocabulário para demonstrar-se o que sente ou tem certeza não sentir.

Estamos na era onde se responde um “eu te amo” com obrigado ou simplesmente se deixa sem resposta. Talvez a covardia tome conta de nossa falta de habilidade em lidar com as emoções tão bem resumidas na métrica dos poetas românticos, clássicos, entre quartetos e tercetos. Não se faz mais poesia simplesmente por desconhecimento de seus porquês. Fazemos arte sem saber quando por aquele segundo quando a lágrima simplesmente insiste em brotar e até mesmo quando faltam as palavras. E não pense num autor contraditório ou num ator disperso entre duas intenções diferentes para um mesmo monólogo.

A verdade é que esquecemos cada vez mais as rubricas dos roteiros e ficamos avessos às intenções daquilo que proferimos. É daí, que por vezes, surge a manifestação fria de sentimentos entre janelas de conversas num programa de bate-papo da web e descobrimos não ter habilidade para as modernas modalidades de relações humanas, tais como tomar um toco virtual, assim mesmo em escrita coloquial.

A esperar que ainda se goste mais do beijo, do abraço, das palavras e das pausas dramáticas em que só de olhar nos olhos nos regozijamos, num mundo onde o calor das mãos é real.

-Novas palavras, enquanto história nova não vem.

 

Abraço,

David Felipe.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Toco virtual

  1. Taty disse:

    ” ….Não se faz mais poesia simplesmente por desconhecimento de seus porquês..”

    É…Vc tem razão ! nessa e nas outras frases…

    Agora cliquei no negocinho aqui embaixo no blog que me manda e-mail qdo vc posta! Perfeitoo ! rsss

    Olha kiii vergonhaaa… ainda aprendendo com as “modernidades virtuais” kkkk :$

    Bj !

    • davidfelipe disse:

      Está vendo, algumas modernidades podem ser para o bem, rs.
      Vou ganhar uma leitora mais que fiel agora, 😉
      Bjs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s