REDENÇÃO – 10. Você perdeu de novo

REDENÇÃO

10 – VOCÊ PERDEU DE NOVO

            Seus lábios ainda tocando os meus longamente, enquanto eu ainda ressonava e segurava seu queixo entre o polegar e o indicador, enquanto soltavas minha outra mão vagarosamente:

            -Fique bem.

            Beijei-te de novo e adormeci.

(…)

            Temporada na Europa. Não pude recuar de meu sonho outra vez. Não sintas, porque não me perdeu. Fique bem.

            Fique bem? Não foi assim que me senti ao olhar o seu lado da cama e não te ver. Não foi assim que depois de uma noite de felicidade, eu pude simplesmente pisar o chão frio e não lembrar-me do calor de nosso momento. Poderia eu aceitar com tranqüilidade um recado frio colado na porta do refrigerador, escrito a lápis de maquiagem, preso pelo ímã de propaganda da pizzaria dos fins de semana em que deixávamos a pipoca de lado? Não.

            Eu não quero acreditar que esses últimos anos foram ditados por regras com as quais eu nunca soube lidar. Isso não estava nos meus planos, que um dia já pensei nossos. E talvez aí meu viés egoísta de caráter. Se querias partir, que fosse por uma temporada, que eu soubesse te dividir com o mundo, com o mundo das artes tão somente. Mas não. Faltou-me equilíbrio, e quase sobra amor se não é a melancolia a completar essa trilha ainda inacabada. E penso ser bom sinal ainda não haver ponto final. Será um passo de minha redenção?

            Eu de novo trajando jeans, com os pés descalços e com nossas iniciais tatuadas pouco a mostra próximas ao tornozelo esquerdo, na melancolia desse quarto que provavelmente não verá luz pelos próximos dias. Tentar me reerguer está custando caro depois de uma noite de esvaziamento de embriaguez onírica e o mergulho em ti, tão real, de carne e osso, nos tornando um só. E não tenho mais medo de ser piegas, pois é isso que ainda me mantém. E não buscarei mais culpados. Tentarei de fato, compreender em sentido amplo.

            Eu me vejo pensando que se esse jogo ainda tem um perdedor, contemplo a ti com tal posição. Não me tomes por maldoso, és o melhor posto diante de alguém nesse estado que me consome. É sinal claro de que, definitivamente, não acato a essas regras de sofrimento, mentiras brancas e abandonos. Você perder é dizer que eu ainda vou encontrar-te como outro alguém capaz de ainda querer jogar esse jogo.

            “Tentando ser alguém pra você se orgulhar.

              Você não sabe o que é viver no meu lugar!”

 

(Continua)

****Siga também no twitter: @dlipe****

David Felipe.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s