ParteXI(Cont.)

Parte XI(Cont.)

Tônico até que fazia sentido. Talvez se eu fosse de outra era, buscasse coisas do tipo para curar minhas feridas invisíveis. Assim mesmo, pensava eu, dramaticamente e com algum exagero. Voltei do torneio cansado e feliz por descobrir que a vida era mais do que só escrever palavras e que podia de igual forma me encontra e deixar de lado o que me incomodava em meu mundo, em alguns minutos de imersão em água fria, com movimentos certos a não me deixarem afundar.

Mas foram, de novo, as palavras, calcadas no papel a me fazerem mais tarde recordar desses momentos:

 

 Águas que calam meu brado e diminuem meus haustos

Alma solta encontrando seu lugar

Sem medo de estar ou parecer

Apenas ser e não ter medo de olhar para trás

Vislumbrando um belo horizonte,

sem esquecer da frieza do caminho

Vislumbrando um belo horizonte,

De sol novo, palavras soltas em vez de nuvens bonitas

a marcar meu caminho

Ir de Tróia a minha Helena e não sair do lugar.

 

Palavras soltas, estrofe sem título, uma rocha em transformação, aguardando o rebentar das ondas do mar. Ainda que meu mar não fosse tão longe, não chegasse nunca a oceano, cabia dentro de minha singela obstinação.

 

 

 

Anúncios

2 pensamentos sobre “ParteXI(Cont.)

  1. Kiki disse:

    Poderia ter colocado um capitulo mais compridinho né?!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s